Olá, aqui traremos algumas dicas, comentários e interações sobre banco de dados no geral, assim como, com HTML, CSS, JavaScript e PHP dentro do nosso ambiente Scriptcase.

O objetivo é aprimorar  a sua visão sobre os conhecimentos fundamentais em desenvolvimento web, acrescentando conteúdo a sua noção básica de banco de dados, assim como, aprimorando a utilização do PHP, HTML, CSS e JavaScript dentro do Scriptcase. O Scriptcase utiliza HTML, PHP, CSS, JS e JQuery ao longo do desenvolvimento, logo a grande sacada é saber um pouco sobre cada ferramenta para melhorar a qualidade da sua aplicação, aprimorando os elementos que se precisa, sem necessariamente exigir um conhecimento avançado.

html-css-js-php-jquery

E esse é nosso objetivo principal, possibilitar, através do Scriptcase, que você consiga identificar os custos benefícios de utilização do nosso ambiente, ao passo que agiliza sua produtividade, facilitando seu trabalho como desenvolvedor, e mostrando que é possível sim, criar sistemas bem estruturados e de qualidade tendo muito ou pouco repertório técnico.

O ambiente Scriptcase foi criado para que, tanto pessoas que tenham pouco conhecimento em desenvolvimento consigam criar sistemas, quanto para facilitar e diminuir o tempo gasto no processo construtivo para aqueles desenvolvedores que tenham um sólido conhecimento em programação.

O Scriptcase desenvolve aplicações baseadas em tabelas, sendo assim, um banco de dados bem estruturado  além de evitar retrabalho, aproveitará a geração de aplicações em lotes da nossa ferramenta e encaminhará alterações necessárias apenas para as aplicações chaves específicas.

O desenvolvimento de um sistema deve seguir uma lógica de quatro etapas essenciais:

  • Modelo de tarefa do usuário: que nada mais é do que um diálogo inicial onde entendemos quais os desejos e necessidades do cliente;
  • Modelo conceitual: momento onde decidimos como se dará a construção e qual será a estrutura do sistema ( uma dica para facilitar a modelagem é a ferramenta MySQL Workbench, pois ela oferece a funcionalidade de criação do script , assim como a criação das tabelas a partir da modelagem, segue um exemplo abaixo:);modelagem-workbench

[O Scriptcase oferece a função de exibição do diagrama do projeto, com todas as aplicações, mas não a modelagem de dados propriamente, por isso a dica do MySQL WorkBench.]

  • Modelo lógico: é o ponto onde definimos os dados, funções e regras;
  • Modelo físico: finalmente é a representação do banco de dados, com sua interface e aplicações já efetivamente construídas.

O universo do Scriptcase oferece a grande vantagem de conexões com mais de um tipo de banco de dados( MySQL Server, MariaDB, MS SQL Server, MS Azure, PostgreSQL, Oracle, Firebird, MS Access, SQLite, Interbase, DB2, ODBC, Informix, Sybase, Amazon Aurora, Progress), independente de qual conexão que o cliente trabalha, isso resulta num ganho substancial de tempo de desenvolvimento.banco-de-dados-scripcase

Sobre banco de dados, classes de comando como CREATE, ALTER, DROP, INSERT, UPDATE, DELETE, SELECT, BEGIN, COMMIT, ROLLBACK, entre outros, estão presentes conceitualmente nos diferentes tipos de ferramentas de construção de banco de dados, a diferença é a forma como é exibida, e aí que entra umas das genialidade do Scriptcase, já que ele padroniza a interface de desenvolvimento para todas, agilizando o processo e gerando acréscimos de produtividade. A nossa interface é simples e eficiente, aproximando o usuário da aplicação, de uma forma totalmente transparente!

O controle do sistema pode ser feita através do banco de dados ou pelo próprio Scriptcase, que funcionaria como um ‘PHP Admin’, com suas próprias peculiaridades, é claro!

O Scriptcase oferece um pacote completo de ferramentas para agilizar e facilitar o desenvolvimento dos seus projeto, dentre elas destaco 7 que recomendamos:

  • 1 – Macro Auto Completar [ Ctlr + Space ]: onde se lista todas as macros assim como os campos disponíveis num determinado evento;
  • 2 – Insert Code: uma facilidade genial, pois poupa o trabalho do desenvolvedor ter que escrever códigos de natureza rotineira;
  • 3 – Libraries: ou seja, a possibilidade de uso de bibliotecas internas e externas, oferecendo o benefício de não ter que digitar o mesmo código diversas vezes, destacando que existem 4 níveis de acesso: Usuário ( onde somente aquele determinado usuário da licença pode modificar e realizar a manutenção do código fonte do projeto, seja interna ou externa), Projeto ( onde só se pode referenciar a biblioteca dentro do projeto) , Pública ( qualquer projeto pode ser compartilhado entre as minhas bibliotecas) e Scriptcase ( já vem com o ambiente, e nelas não é possível alterar, excluir ou modificar a biblioteca );
  • 4 – Personalização da Barra de Ferramentas: o Scriptcase permite a customização da barra de ferramentas, de acordo com as preferências do próprio usuário, sendo assim, facilita e organiza as funções que lhe são mais importantes;
  • 5 – Valores Padrões: para que nossas aplicações sejam criadas na velocidade e qualidade que o Scriptcase propõe, como já comentado ao longo do texto, se faz necessário primeiro realizar a modelagem de dados, depois criar o seu tema e definir o layout da sua aplicação, e posteriormente, definir os valores padrões que vão ser necessariamente a forma como as aplicações são criadas , assim como suas propriedades.
  • 6 – Gerenciador de Banco de Dados [Database builder] : dentro do Scriptcase já é oferecido a possibilidade de gerenciamento do banco de dados, sendo assim, você acessa a conexão criada dentro do nosso ambiente, e poderá realizar diversas ações de gerência, como exportar tabelas, inserir registros, visualizar esquema de organização das aplicações, mostrar estrutura, criar novas tabelas,entre diversos outros. Isso gera uma independência de gerenciadores de banco de dados.
  • 7 – Dicionário de Dados: facilita a alteração do campo sem necessariamente ter que percorrer todo o código manualmente, e o mais importante, seria a conversão de idioma da aplicação, claro que não migra totalmente, mas poupa ¾ do trabalho requerido para esse tipo de alteração.

Bem, isso foram apenas alguns comentários e dicas básicas para todos aqueles que, assim como eu, estão iniciando a exploração rumo ao universo simples, porém genial do Scriptcase. Se quiser ler mais dicas de auxílio e facilitadores a respeito do desenvolvimento com o Scriptcase, pode acessar os seguintes links:

< https://www.scriptcaseblog.com.br/dicas-de-auxilio-para-desenvolvedores/>

< https://www.scriptcaseblog.com.br/dicas-de-facilitadores-para-desenvolvedores-parte-ii/>

Sintam-se à vontade para fazerem suas próprias observações sobre suas experiências na nossa ferramenta, esperamos sempre que sejam experiências positivas e instrutivas.

Caso você tenha interesse em se aprofundar mais sobre os assuntos aqui abordados, lhe convido a conhecer o nosso curso online de Desenvolvimento Web:

< https://www.scriptcase.com.br/aprendizagem/cursos/?curso=desenvolvimento-web >

Um grande abraço, até mais!

 

Compartilhe este post

Você pode gostar de…

Learn by Doing – Aprender fazendo!

Learn by doing é uma metodologia  desenvolvida por John Dewey baseada na criação de conheci...

Te pagam pelo seu sistema ou pelo seu código?

Para todos aqueles que desenvolvem sistemas e softwares todos os dias durante o trabalho, você...

Scriptcase e os Web services

Nesta oportunidade estarei explicando como trabalhar com web services dentro do scriptcase, diretame...

Comente este post

Receba novos posts, ofertas e muito mais toda semana.

Usaremos as informações fornecidas para lhe enviar newsletter e ofertas especiais por email. Você pode cancelar a inscrição quando quiser, clicando em um link no rodapé de qualquer e-mail que receber de nós, ou entrando em contato conosco pelo e-mail sales@scriptcase.net. Saiba mais sobre nossa Polícia de Privacidade.